sexta-feira, 4 de abril de 2008

Sobre os riscos.


Arriscado é a gente se meter no meio desse mundão de meu Deus e ir parar em algum buraquinho do sul da Europa. Lá eu me chamaria Sophie, e você, Thomas. Arriscado é a gente querer viver de cinema, música e cafés e notarmos que não saímos da nossa cabana há dias. Arriscado é a gente se esconder do mundo e escrever AQUELE roteiro de dois malucos que se jogaram no mundo, felizes e satisfeitos, até as pessoas esquecerem da gente. Arriscado é eu topar juntar minha escova na tua. Arriscado são os homens invejarem a sua mulher psicóloga-roteirista-poeta-fotografa-bonita-sarcástica. Arriscado são as mulheres invejarem o meu marido cientista-cineasta-violeiro-cantor-bem humorado-modesto. Arriscado são elas invejarem, porque, enfim, vamos ter que, qualquer dia, comprar queijo pro café da manhã. Arriscado é a gente gostar dessa inveja do mundo e entender que podemos ser felizes pra sempre sem ninguém entender como é que conseguimos. Arriscado é mudarmos e chocarmos o mundo. Arriscado é aprendemos como é ficar acordado pro mundo e escolhermos sonhar, sonhar, sonhar. Como dois cachorros preguiçosos. Pra sempre. É arriscado. Eu sei. Mas eu correria esse risco fácil fácil.

5 comentários:

Mr. Ziggy disse...

Que a essência se mantenha, que os sonhos nos impulsionem e a alma, repleta de luz, persista em arriscar. E amar... sempre!

lupeu lacerda disse...

sempre poeta
bela
mesmo presa na europa
saia
eu vou ser o vendedor do queijo.
e a inveja?
é nossa cumadi.

beijo sempre.

disse...

E quem não correria esse risco em sã consciência. O pior é que a maioria não correria... :( Talvez eu não.

On disse...

arriscado é sonhar....

Lúcia disse...

Ah, delícia de risco...
Como fui pra China, vou pra onde for se a companhia valer a pena...